Please use this identifier to cite or link to this item: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/1479
Title: Estoque de carbono em Latossolo Amarelo sob uma cronossequência de cultivos em sistema plantio direto no município de Paragominas- Pará.
Advisor: FREITAS, Luis de Souza
Authors: FARIAS JUNIOR, Carlos Alberto
FERREIRA, Klebson Dias
Keywords: Estoque de carbono
Latossolo amarelo distrófico
Plantio direto
Plantio convencional
Issue Date: 2013
Publisher: UFRA/Campus Paragominas(PA)
Citation: FARIAS JUNIOR, Carlos Alberto; FERREIRA, Klebson Dias. Estoque de carbono em Latossolo Amarelo sob uma cronossequência de cultivos em sistema plantio direto no município de Paragominas- Pará. Orientador: Luis de Souza Freitas. 2013. 42 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Paragominas, PA, 2013.
Resumo: De acordo com o relatório sobre Mudanças Climáticas do Painel Intergovernamental de 2007, a agricultura contribui em significativamente na emissão de gases do efeito estufa. Sendo, as práticas agrícolas conservacionistas como o sistema integrado lavoura-pecuária e floresta e o plantio direto (PD), cada vez mais utilizados em vários países para mitigar a emissão destes gases. O plantio direto, por não precisar do uso contínuo de maquinarias, favorece o processo de agregação do solo, além de aumentar a captação de carbono. No presente trabalho, determinamos o estoque de carbono total e orgânico em diferentes profundidades (0-10, 10-20 e 20-40 cm) e ao longo do tempo (PD com 7 anos, PD com 4 anos, PD com 3 anos, e plantio convencional de 6 anos) em Latossolo Amarelo distrófico, localizado na fazenda Juparanã, município de Paragominas no nordeste do Pará. Como resultados, observamos que a quantidade de carbono orgânico em todos os sistemas de manejo de PD foram maiores do que aqueles encontrados no plantio convencional de 6 anos, mesmo naqueles sistemas implementados a menos tempo do que este. Sendo que o maior estoque ocorreu após 7 anos. O estoque de carbono total também seguiu a mesma tendência, sendo maior no plantio direto após 7 anos, e menor no plantio convencional. Desta forma, o sistema de plantio direto, além de ser uma prática que aumenta o estoque de carbono no solo, é um dos sistemas mais indicado a ser implementado em longa escala no país, devido a sua adaptação ao clima e tipo de solo local.
Abstract: According to the report of the Intergovernmental Panel on Climate Change 2007, agriculture contributes significantly to emissions of greenhouse gases. Being, agricultural conservation practices such as integrated crop-livestock and forest and no-tillage system (NT), increasingly used in several countries to mitigate the emission of greenhouse gases. The no-tillage system not need the continuous use of machineries, favors the process of soil aggregation, and increase carbon sequestration. In this paper, we determine the stock of total carbon and organic at different depths (0-10, 10-20 and 20-40 cm) and over time (no-tillage system with 7 years, 4 years, 3 years and conventional tillage to 6 years) in dystrophic yellow oxisol, located on the farm Juparanã, Paragominas in northeastern Pará. As a result, we observed that the organic carbon total in all NT systems were higher than those found in conventional tillage for six years, even in those systems implemented in less time than this. Since the greatest stock occurred in NT after 7 years. The total carbon stocks also followed the same trend, being higher in NT after 7 years and less in conventional tillage. Thus, the no-tillage system, and is a practice that increases the stock of carbon in the soil, and one of the most suitable to be implemented in large scale in the country, due to their adaptability to climate and soil type.
URI: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/1479
Appears in Collections:TCC - Paragominas - Agronomia



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons