Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdta.ufra.edu.br/jspui/handle/123456789/435
Título: Resistência de Cultivares de Soja a Mosca-Branca Bemisia tabaci (Genn., 1889) (Hemiptera: Aleyrodidae), em Condições de Campo, no Polo Paragominas de Grãos.
Orientador(es): Silva, Anderson Gonçalves da
Autor(es): Souza, Débora Brenda da Silva
Santos, Loryene Botelho dos
Palavras-chave: Besmicia tabaci
Resistência genética
Pragas - monitoramento
Soja
Data do documento: 2017
Citação: Souza, Débora Brenda da Silva. Resistência de Cultivares de Soja a Mosca-Branca Bemisia tabaci (Genn., 1889) (Hemiptera: Aleyrodidae), em Condições de Campo, no Polo Paragominas de Grãos. Orientador: Anderson Gonçalves da Silva. 36 f. 2017. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Engenharia Agronômica) Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Paragominas, 2017.
Resumo: A soja é o quarto produto entre os cereais mais consumidos no mundo tendo altos índices de produção e comercialização. A mosca-branca (B. tabaci) biótipo B é um inseto sugador pertencente à Ordem Hemíptera, essa praga é capaz de se alimentar de mais de 600 espécies de vegetais, consequentemente, causando danos econômicos. O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência de cultivares de soja à mosca-branca Bemisia tabaci, em condições de campo, no polo Paragominas de grãos. Foram realizadas duas experimentações (nos anos de 2015 e 2016) sendo o delineamento experimental em blocos ao acaso (DBC) em esquema de parcelas subdivididas, delimitando-se uma área de 25x40m distribuídas em 4 blocos com 20 cultivares de soja, cada parcela media 2x5m, contendo quatro linhas de plantio de soja no espaçamento de 50 cm, as amostragens de incidência de B. tabaci biótipo B foram iniciadas aos 07dias após a emergência das plantas (DAE), registrando-se semanalmente o número de ovos, ninfas e adultos. No ano de 2015 as infestações da praga obtiveram diferenças para todos os estágios de desenvolvimento de B. tabaci, ovo, ninfa e adultos; com relação ao experimento do ano de 2016 foram observadas altas infestações de mosca-branca nas 20 cultivar de soja (BRS, 9090RRBRS, Simbaíba, Perola, Syn 1183 e outras), no entanto, não houve diferença entre ovos, ninfas e adultos. Quanto ao ano de 2015 as cultivares SYN1183, P99R03, P98C81 e Uruçuí apresentaram maiores índices de preferência para a oviposição diferindo da cultivar P98Y51 que foi a que mostrou menor média de infestação (13.99), já no experimento do ano de 2016 aos 14 e 21 dias após a emergência (DAE), foram os períodos mais favoráveis para o desenvolvimento da B. tabaci biótipo B.
Abstract: Soybeans are the fourth largest cereal product in the world with high production and marketing rates. The whitefly biotype B is a sucking insect belonging to the Hemiptera Order, this pest is capable of feeding more than 600 species of plants, consequently causing economic damages. The objective of this study was to evaluate the resistance of soybean cultivars to whitefly under field conditions in the Paragominas grains pole. Two experiments were carried out (in the years 2015 and 2016), with a randomized block design (DBC) in subdivided parcels, delimiting an area of 25x40m distributed in 4 blocks with 20 soybean cultivars, each parcel 2x5m, containing four lines of soybean planting at a spacing of 50 cm, the B. tabaci B biotype incidence samplings were started at 07 days after plant emergence (DAE), and the number of eggs, nymphs and adults was recorded weekly. In the year of 2015 the infestations of the pest obtained differences for all the stages of development of B. tabaci, egg, nymph and adults; with regard to the experiment of the year 2016, high infestations of whitefly were observed in the 20 soybean cultivars, however, there was no difference between eggs, nymphs and adults. In relation to the year 2015, the cultivars SYN1183, P99R03, P98C81 and Uruçuí presented higher preference indices for oviposition, differing from cultivar P98Y51, which showed the lowest mean of infestation (13.99), already in the experiment of the year 2016 to 14 and 21 days after the emergency (DAE), were the most favorable periods for the development of B. tabaci biotype B.
URI: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/435
Aparece nas coleções:TCC - Paragominas - Agronomia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC Lory e Debora 10-05-17 (ultima alteração).pdf533,15 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons