Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdta.ufra.edu.br/jspui/handle/123456789/1865
Title: Captura incidental de tartarugas marinhas pela frota industrial arrasteira na costa norte do Brasil
Advisor: CINTRA, Israel Hidenburgo Aniceto
Authors: PINHEIRO, Igor Brito
Keywords: Capturas incidentais
Tartarugas marinhas
Tartaruga-oliva Lepidochelys olivacea
Tartaruga-verde Chelonia mydas
Tartaruga-de-couro Dermochelys coriacea
Issue Date: 2007-10
Publisher: UFRA/Campus Belém
Resumo: O estudo tem o objetivo de registrar as capturas incidentais de tartarugas marinhas pela frota industrial de arrasto de fundo na costa Norte do Brasil. Internacionalmente, as redes de arrasto são consideradas uma das atividades que mais ameaçam as tartarugas marinhas e em decorrência disto, os Estados Unidos criaram uma Lei proibindo a importação de camarão dos países que não possuem dispositivos para exclusão desses quelônios durante a pesca, os chamados TEDs (Turtle Excluder Devices). Os dados foram obtidos a partir de acompanhamentos feitos a bordo de barcos industriais, por meio de informações cedidas pelos projetos: “Biologia e pesca dos camarões da costa Norte do Brasil”, e “Biologia º pesca dos bagres migradores”, executados pelo Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Norte (CEPNOR/IBAMA). Durante o estudo foram registradas 25 capturas incidentais de três indivíduos pela frota industrial camaroneira no ano de 2004 em profundidades que variam de 21 a 45 metros e três indivíduos na frota industrial piramutabeira, uma no ano de 2004 e duas no ano 2007 em profundidade que variam de 10 a 18 metros. Na pesca do camarão-rosa foi identificada a tartaruga-oliva Lepidochelys olivacea (Escholtz, 1829) e Dermochelys coriacea (Linnaeus, 1758), já na pesca da piramutaba foi identificada a tartaruga-verde Chelonia mydas (Linnaeus, 1758).O estudo tem o objetivo de registrar as capturas incidentais de tartarugas marinhas pela frota industrial de arrasto de fundo na costa Norte do Brasil. Internacionalmente, as redes de arrasto são consideradas uma das atividades que mais ameaçam as tartarugas marinhas e em decorrência disto, os Estados Unidos criaram uma Lei proibindo a importação de camarão dos países que não possuem dispositivos para exclusão desses quelônios durante a pesca, os chamados TEDs (Turtle Excluder Devices). Os dados foram obtidos a partir de acompanhamentos feitos a bordo de barcos industriais, por meio de informações cedidas pelos projetos: “Biologia e pesca dos camarões da costa Norte do Brasil”, e “Biologia º pesca dos bagres migradores”, executados pelo Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Norte (CEPNOR/IBAMA). Durante o estudo foram registradas 25 capturas incidentais de três indivíduos pela frota industrial camaroneira no ano de 2004 em profundidades que variam de 21 a 45 metros e três indivíduos na frota industrial piramutabeira, uma no ano de 2004 e duas no ano 2007 em profundidade que variam de 10 a 18 metros. Na pesca do camarão-rosa foi identificada a tartaruga-oliva Lepidochelys olivacea (Escholtz, 1829) e Dermochelys coriacea (Linnaeus, 1758), já na pesca da piramutaba foi identificada a tartaruga-verde Chelonia mydas (Linnaeus, 1758).
URI: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/1865
Appears in Collections:Relatório de Estágio Supervisionado Obrigatório - ISARH - Engenharia de Pesca



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons