Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdta.ufra.edu.br/jspui/handle/123456789/1890
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorPANTALEÃO, Gisele de Sousa Lima-
dc.date.accessioned2021-10-06T19:40:32Z-
dc.date.available2021-10-06T19:40:32Z-
dc.date.issued2004-10-01-
dc.identifier.citationPANTALEÃO, Gisele de Sousa Lima. Análise do ordenamento e distribuição espacial do pargo Lutjanus purpureus Poey, 1875 na plataforma da costa Norte. Orientador: Rosália Furtado Cutrim Souza. 2004. 138 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Pesca) – Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Belém, 2004.en_US
dc.identifier.uribdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/1890-
dc.language.isopt_BRen_US
dc.publisherUFRA/ Campus Belémen_US
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 United States*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectPargo (Lutjanus purpureus Poey, 1875)- Produção pesqueiraen_US
dc.subjectOrdenamento pesqueiroen_US
dc.subjectPargo - Preservaçãoen_US
dc.subjectRelações biométricas - Pargoen_US
dc.titleAnálise do ordenamento e distribuição espacial do pargo Lutjanus purpureus Poey, 1875 na plataforma da costa Norteen_US
dc.typeTCCen_US
dc.description.resumoA variabilidade de produção pesqueira do pargo reflete o histórico de sua exploração 120 longo dos 40 anos na costa norte e nordeste do Brasil, passando por fases bem distintas no que diz respeito a apetrecho de pesca, área de pesca, frota, produção e esforço de pesca desde 0 inicio de sua exploração comercial no nordeste do Brasil. À partir de sua expansão para a costa norte um novo cenário se apresentou, porém com as mesmas problemáticas no ordenamento da pescaria. O presente trabalho tem como objetivos identificar a área de jovens e adultos por estrato de latitude e profundidade, mapear a área de atuação da frota industrial acompanhar 2 reunião de ordenamento do pargo e analisar de forma crítica as portaria da pesca do pargo. À área de estudo esta localizada entre as longitudes 47º a 49º W e latitudes 0º a 4º N, sendo que na coleta de dados foi feita por amostra dores a bordo da embarcação. Às amostras foram divididas por grau de latitude e a profundidade por amplitude de 20 m e aplicado o teste 1” de Siudent para as múódias de comprimento. Nos dias 12, 13 e 14 de maio de 2004 foi apresentado os resultados de pesquisas científicas e discussões do setor técnico e produtivo que subsidiou a elaboração do relatório da reunião de ordenamento. No período de agosto de 2000 a dezembro de 2001 foram analisadas 62 amostras totalizando 7358 indivíduos. De acordo com os resultados a número de jovens são dominantes mesmo nas Intítudes maiores que 03º e não existe diferença significativa entre os estratos de latitude para EP jovens e adultos. Os indivíduos a partir de 40 em apresentam-se em maior quantidades em profundidades entre 100 a 120 m. Os estratos 40-60 e 60-100 demonstraram existir diferença ES Significativa entre os indivíduos adultos. Os jovens se concentrara m na área de crescimento, localizando-se mais próximo À costa para se alimentar e os adultos procuram regiões mais profundas próximos à quebra do talude continental. À pesca industrial se concentra na costa do Amapá na quebra do talude. À preservação e sustentabilidade da atividade pesqueira e do recurso pargo depende de uma gestão participativa, porém com consenso das medidas de N ordenamento e cumprimento da legislação por todos envolvidos na atividade. O colapso da pesca do pargo nas distintas fases da evolução da pescaria não foi por inexistência de P ordenamento e sim por falta de fiscalização cumprimento das legislações.en_US
dc.contributor.advisor1SOUZA, Rosália Furtado Cutrim-
Appears in Collections:Relatório de Estágio Supervisionado Obrigatório - ISARH - Engenharia de Pesca



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons