Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdta.ufra.edu.br/jspui/handle/123456789/1900
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFLEXA, Cassio Eduardo-
dc.date.accessioned2021-10-06T22:13:01Z-
dc.date.available2021-10-06T22:13:01Z-
dc.date.issued2005-09-
dc.identifier.citationFLEXA, Cassio Eduardo. Morfometria do Camarão cascudo Macrobrachium amazonicum (Heller, 1862) no município de Cametá-Pará. Orientador: Katia Cristina de Araújo Silva. 2005. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Pesca) – Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Belém, 2005en_US
dc.identifier.uribdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/1900-
dc.language.isopt_BRen_US
dc.publisherUFRA/Campus Belémen_US
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 United States*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectCamarão cascudo Macrobrachium amazonicum (Heller, 1862) - Relações morfométricasen_US
dc.subjectPalaemonidaeen_US
dc.subjectComunidade Ajará Panema - Cametá-Paen_US
dc.subjectCoeficiente de correlação (r) - Camarão cascudoen_US
dc.titleMorfometria do Camarão cascudo Macrobrachium amazonicum (Heller, 1862) no município de Cametá-Paráen_US
dc.typeTCCen_US
dc.description.resumoAs relações morfométricas para o camarão cascudo Macrobrachium amazonicum (Heller, 1862) foram obtidas a partir de coletas mensais realizadas de junho de 2004 a maio de 2005 na comunidade de Ajará Panema, localizada no município de Cametá-Pará. Para a captura dos exemplares, foram utilizados 50 matapis distribuídos a cada 2m, com tempo de imersão de 4 horas. Em laboratório os exemplares foram identificados, separados por sexo e medidos. A relação peso/comprimento, na qual foi aplicada o teste “t” de Student, bilateral, com alfa = 0,05 apresentou alometria positiva e foi constatada diferença significativa entre machos e fêmeas, sendo que os valores encontrados para machos de “a” e “b”, foram 0,0098 e 2,684 respectivamente, e para as fêmeas a = 0,0089 e b = 2,7579. Por meio da equação da relação peso-comprimento, foi verificado que as fêmeas a partir de um determinado comprimento apresentam peso superior ao de machos com o mesmo comprimento. Os valores do coeficiente de correlação (r) evidenciam que para todas as equações há uma relação diretamente proporcional entre as variáveis dependentes e independentes. Através das análises morfométricas, observou-se que o abdome apresentou-se como o maior segmento do corpo, e o cefalotórax como o menor, sendo que o comprimento do abdome é superior ao do cefalotórax tanto para machos quanto para fêmeas. O abdome representa aproximadamente 54% do peso corporal, para machos e fêmeas e o cefalotórax representa aproximadamente 44% do peso corporal, para os machos e 43% para as fêmeas.en_US
dc.contributor.advisor1SILVA, Katia Cristina de Araújo-
Appears in Collections:Relatório de Estágio Supervisionado Obrigatório - ISARH - Engenharia de Pesca



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons