Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdta.ufra.edu.br/jspui/handle/123456789/2475
Title: Emoções e aprendizagem: Aspectos neurocientíficos
Advisor: AQUINO, Ana Cleide Vieira Gomes Guimbal de
Authors: TAVARES, D'albuquerque
Keywords: Aprendizagem - Aspectos neurocientíficos
Neurociência - Processo de ensino e aprendizagem
Emoções - Aspectos neurocientíficos
Educação formal - Aspectos neurocientíficos
Séries Iniciais - Ensino fundamental
Issue Date: 2022
Publisher: UFRA/Campus Belém
Citation: TAVARES, Maria Amália Lima D'albuquerque. Emoções e aprendizagem: Aspectos neurocientíficos. Orientadora: Ana Cleide Vieira Gomes Guimbal de Aquino. 2022. 32 f. Monografia (Especialização em Educação Especial e Inclusão Socioeducacional) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Belém, PA, 2022.
Resumo: O presente artigo trata da relação existente entre as emoções e aprendizagem, com relação aos aspectos neurocientíficos. Sendo este, o resultado de uma pesquisa de campo, realizada junto a10 (dez) professoras que atuam junto a alunos matriculados nas séries iniciais do Ensino Fundamental, em uma escola estadual situada em Belém. Soma-se a isso, uma pesquisa bibliográfica feita, na qual foram utilizadas várias publicações, como livros, revistas científicas e artigos disponíveis em bases de dados, como Scielo e Capes, que versam sobre a articulação entre as emoções, a aprendizagem e as neurociências. Assim, partiu-se dos trabalhos de autores que estudam a temática apresentada. São eles: Fonseca (2016), Sousa & Alves (2017), Galvão (2000), dentre outros. A importância de explorar este tema, deve-se ao fato de que o processo de escolarização carece de permanente atenção e estudos, já que é algo determinante para a formação e desenvolvimento dos indivíduos. Dessa forma, não é possível conceber a ideia de que o estudante esteja frequentando uma unidade escolar, somente para apreender os conteúdos das várias áreas do conhecimento, sendo um mero receptor de informações. O processo de ensino e aprendizagem jamais pode ser visto como algo mecânico, porque envolve seres humanos dotados de subjetividades e singularidades, o que chama a atenção para a necessidade de práticas pedagógicas criteriosas, alicerçadas em evidências científicas. Nesse sentido, a neurociência traz contribuições cruciais para a educação, na medida em que ao ocupar-se do estudo do sistema nervoso, acaba por apontar para a necessidade de mudanças no âmbito educacional, indicando assim novos rumos, rompendo com paradigmas conservadores e sem respaldo da Ciência, no qual todos devem aprender a partir de uma mesma metodologia, desconsiderando o aprendente enquanto um ser único, o que tem resultado em um trabalho fragmentado, inconsistente e sem sentido para tantos educandos. Aqui, a emoção é tratada com destaque, tendo em vista que é algo inerente à espécie humana e, portanto, está constantemente presente no ato de aprender. A conclusão aponta para a importância de considerar os aspectos neurocientíficos na educação formal, a fim de que a mesma seja compreendida de modo mais abrangente e efetivada com sucesso.
Abstract: This article deals with the relationship between emotions and learning, in relation to neuroscientific aspects. This being the result of a field research, carried out with 10 (ten) teachers who work with students enrolled in the initial grades of Elementary School, in a state school located in Belém. In addition, a bibliographic research was carried out, in which several publications were used, such as books, scientific journals and articles available in databases, such as Scielo and Capes, that deal with the articulation between emotions, learning and neurosciences. Thus, we started with the work of authors who study the presented theme. They are: Fonseca (2016), Sousa & Alves (2017), Galvão (2000), among others. The importance of exploring this theme is due to the fact that the schooling process needs permanent attention and studies, since it is crucial for the formation and development of individuals. Thus, it is not possible to conceive the idea that the student is attending a school unit, only to apprehend the contents of the various areas of knowledge, being a mere receiver of information. The teaching and learning process can never be seen as something mechanical, because it involves human beings endowed with subjectivities and singularities, which calls attention to the need for judicious pedagogical practices, based on scientific evidence. In this sense, neuroscience brings crucial contributions to education, insofar as when dealing with the study of the nervous system, it ends up pointing to the need for changes in the educational scope, thus indicating new directions, breaking with conservative and unsupported paradigms. of Science, in which everyone must learn from the same methodology, disregarding the learner as a unique being, which has resulted in a fragmented, inconsistent and meaningless work for so many students. Here, emotion is treated with prominence, considering that it is something inherent to the human species and, therefore, it is constantly present in the act of learning. The conclusion points to the importance of considering neuroscientific aspects in formal education, so that it is understood in a more comprehensive way and successfully implemented.
URI: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/2475
Appears in Collections:TCC - ICIBE - Especialização em Educação Especial e Inclusão Socioeducacional

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EMOÇÕES E APRENDIZAGEM - ASPECTOS NEUROCIENTÍFICOS.pdf1,55 MBUnknownView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons