Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdta.ufra.edu.br/jspui/handle/123456789/2484
Title: Crustáceos decápodes acompanhantes da pesca industrial do camarão-rosa farfantepenaeus subtilis (Pérez Farfante,1967), na costa norte do Brasil: estudo de caso.
Advisor: SILVA, Kátia Cristina de Araújo
Authors: ITAPIREMA, Jovelino José de Sousa
Keywords: Camarão-rosa
Crustáceos decápodes
Costa- norte
Pesca industrial
Carcinofauna
Issue Date: 2006
Publisher: UFRA - Campus Belém
Citation: ITAPIREMA, Jovelino José de Sousa. Crustáceos decápodes acompanhantes da pesca industrial do camarão-rosa farfantepenaeus subtilis (Pérez Farfante,1967), na costa norte do Brasil: estudo de caso. 2006. 68 f. Relatório (Graduação em Engenharia de Pesca) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, 2006. Disponível em: . Acesso em: .
Resumo: A região Norte, devido à influência do rio Amazonas apresenta alta taxa de produtividade primária e consequentemente, alta potencialidade pesqueira. A pesca industrial de camarão na Costa Norte do Brasil é realizada sobre um dos mais importantes bancos camaroneiros do mundo, que se estende desde Tutóia no Maranhão, até o Delta do Orinoco, na Guiana. Tendo como espécie dominante nos desembarques o Furfantepenaeus subrilis, que nos últimos anos respondeu por mais de 99% da produção industrial de camarão no estado do Pará. Mesmo que o esforço pesqueiro seja dirigido a uma determinada espécie ou grupo de espécies, sempre haverá a captura de outras que irdo compor a fauna acompanhante. Nesse sentido, as pescarias de arrasto, particularmente o arrasto para capturar camardes, demonstraram ser as mais predatorias. A participação dos crustáceos decápodes na composição da fauna associada à pesca de arrasto é elevada, superando consideravelmente a biomassa de camarões em condições de comercialização. Muitas espécies que são capturadas ao acaso apresentam pequeno porte e tradicionalmente não possuem valor comercial, sendo descartadas pelos pescadores. Embora a carcinofauna também tenha sido abordada em alguns trabalhos de pesquisa, a maior parte dos estudos referentes à fauna acompanhante da pesca do camarãorosa, refere-se à ictiofauna. Com isso, este trabalho vem gerar informações sobre os crustáceos decápodes presentes na fauna acompanhante da pesca industrial do camarão-rosa na Costa Norte do Brasil. Os exemplares foram capturados durante a pesca do camarão-rosa no período de 20 dias a bordo dos barcos Mucuripe IV e Maguary XXIX. As amostras foram analisadas no Laboratório de Carcinologia do CEPNORIBAMA. A carcinofauna acompanhante foi constituída de 27 espécies distribuídas entre siris, caranguejos, camarões e lagostim. Os caranguejos apresentaram-se com maior número de espécies coletadas seguido pelos siris. No total foram identificadas 11 espécies de caranguejos distribuidas em 7 géneros e 4 familias: 8 espécies de siris, pertencentes a 4 gêneros em uma única familia; os camarões se apresentaram com 7 espécies distribuidas em 5 gêneros e duas familias. A espécie que esteve mais freqüente foi Callinectes ornatus com 100% de freqüència seguida por Callapa sulcuta com 80%. As espécies com nova ocorrência para a área são Libinia dubia, Libinia spinosa e Penaeus paulensis. As amostras coletadas durante os dois tumos são compostas pelas mesmas espécies.
Abstract: A região Norte, devido à influência do rio Amazonas apresenta alta taxa de produtividade primária e consequentemente, alta potencialidade pesqueira. A pesca industrial de camarão na Costa Norte do Brasil é realizada sobre um dos mais importantes bancos camaroneiros do mundo, que se estende desde Tutóia no Maranhão, até o Delta do Orinoco, na Guiana. Tendo como espécie dominante nos desembarques o Furfantepenaeus subrilis, que nos últimos anos respondeu por mais de 99% da produção industrial de camarão no estado do Pará. Que seja dirigido a uma espécie determinada de fauna ou mesmo a um grupo de captura de outras que ir compor um esforço acompanhante. Nesse sentido, as pescarias de arrasto, particularmente as arras para capturar camardes, serão as mais predatórias. A composição dos decápodes da fauna associada à pesca de a composição da participação é elevada, superando consideravelmente a biomassa na composição dos camarões da distribuição de camarões. Muitas espécies que são capturadas ao acaso pequeno porte e não apresentam valor comercial, sendo descartadas pelos pescadores. Embora a carcinofauna também tenha sido abordada em alguns trabalhos de pesquisa, a maior parte dos estudos de referência à fauna acompanhante da pesca do camarão rosa, refere-se à ictiofauna. Com isso, este trabalho vem gerar informações sobre os crustáceos decápodes presentes na fauna acompanhante da pesca industrial do camarão-rosa na Costa Norte do Brasil. Os exemplares foram capturados durante a pesca do camarão-rosa no período de 20 dias a bordo dos barcos Mucuripe IV e Maguary XXIX. As amostras foram feitas no Laboratório de Carcinologia do CEPNORIBAMA. A carcinofauna acompanhante foi constituída de 27 espécies distribuídas entre siris, caranguejos, camarões e lagostim. Os caranguejos apresentado-se com maior número de espécies coletadas seguidas pelos siris. No total foram identificadas 11 espécies de caranguejos distribuídas em gêneros e 4 famílias: 8 espécies de siris, pertencentes a 4 gêneros em uma família única; os camarões se mostraram com 7 espécies distribuídas em 5 gêneros e duas famílias. A espécie que esteve mais frequente foi Callinectes ornatus com 100% de frequência seguida por Callapa sulcuta com 80%. As espécies com nova ocorrência para a área são Libinia dubia, Libinia spinosa e Penaeus paulensis. As coletadas durante os dois tumores são compostas pelas mesmas espécies.
URI: bdta.ufra.edu.br/jspui//handle/123456789/2484
Appears in Collections:Relatório de Estágio Supervisionado Obrigatório - ISARH - Engenharia de Pesca



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons